top of page
  • Foto do escritorA de Agro

A de Agro antecipa a quebra em relação a Conab

Atualizado: 11 de jun.

Nossa tecnologia proprietária baseada em inteligência artificial, imagens de satélite e análises agronômicas identificaram os primeiros indícios de quebra no RS em novembro (considerando dados de agosto a outubro), enquanto a possibilidade baseada em inteligência artificial, imagens de satélite e análises agronômicas identificaram os primeiros indícios de quebra no RS em novembro (considerando dados de agosto a outubro), enquanto a possibilidade ainda ainda não era refletida nos dados da Conab, conforme mapas abaixo.

Análise A de Agro – Abril: Com o final das operações de colheita na região Centro-Oeste, já não há importância em se considerar o monitoramento de quebra de soja para essa colheita.

As condições iniciais para a semeadura do milho se estabelecem nessa época e as chuvas têm sido favoráveis.

Na região Sul, a colheita no Paraná está em 94%, no Rio Grande do Sul está em torno de 35% e de 34% em Santa Catarina, segundo dados do IMEA processados em 15/abril. Para o Paraná, as chuvas se mantiveram favoráveis e o IQ não aponta riscos para este Estado na etapa final de colheita. No Rio Grande do Sul, mesmo com a ocorrência de volumes de chuva mais significativos nas últimas semanas, não foi possível reverter a situação das perdas consolidadas nesta região nos últimos meses. As lavouras com as menores produtividades estão localizadas na região oeste, com 60% da área cultivada do RS.

Novembro – Índice de Quebra A de Agro      Fevereiro – Índice de Quebra A de Agro



0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page